Você sabia que as queixas mais recorrentes nos hospitais ligados aos traumas ortopédicos são consequência de acidentes do cotidiano como quedas em casa e acidentes de carro e moto? Muitas lesões traumáticas surgem devido a pancada na cabeça ou batidas que causam danos aos ossos, músculos, vasos e nervos, a depender da intensidade do trauma. Confira a seguir quais os tipos de fraturas mais graves:

• Fratura exposta – é quando o hematoma fraturário tem contato com o meio externo ou cavidades ocas como, vagina ou reto. Nesse caso, pode existir um risco maior de infecção e do maior tempo de reabilitação do paciente. Um exemplo é a fratura exposta de tíbia, comum em acidentes de carro e moto.

• Fratura da bacia – geralmente ocorre em acidentes graves de automóveis e quedas de alturas. A maioria envolvendo grande energia podendo haver riscos de grandes hemorragias. Também não podemos esquecer dos casos de fraturas de Pelve em acidentes de baixa energia em paciente osteoporóticos.

• Traumatismo craniano – fraturas cranianas que podem causar lesões repercussões no cérebro, comumente associado em pacientes politraumatizados dificultando a avaliação ortopédica destas vítimas. Por isso, no socorro inicial do paciente é necessário avaliar o nível de consciência.

• Fratura na coluna vertebral – Outra lesão que pode estar associado a em casos de traumas graves, como em acidentes de carro e quedas de altura, a fratura da coluna pode gerar lesões na medula espinhal. É uma lesão de sérias consequências, como perda dos movimentos de membros inferiores e/ou superiores, perda de sensibilidade e alteração de reflexos motores.